Pitty

“Chiaroscuro” é o disco mais recente de Pitty, e até onde eu me lembro foi um dos primeiros, se não o primeiro, a ser confirmado com uma versão em vinil assim que a Polysom voltou à ativa.

O pessoal da Deckdisc/Polysom foi super gente boa e me mandou o discão que confesso, me deixou extremamente contente e ansioso com o resultado final e com os lançamentos que virão por aí.

A capa do disco é muito bonita, uma pintura que segundo os créditos do álbum foi feita por Catarina Gushiken enquanto ele era gravado e leva o mesmo nome de “Chiaroscuro”. Nem preciso dizer que na versão grandona do LP ela ficou bem mais legal né? É literalmente uma obra de arte daquelas de pendurar na parede, e representou muito bem o nome e a ideia do disco.

A parte de dentro é um envelope, de material muito resistente que serve como encarte com todas as letras, foto da banda no estúdio no verso e créditos do disco, ao mesmo tempo que abriga o LP em uma condição que, sinceramente, tem muito disco gringo que não faz.

Fico muito feliz quando os discos da minha coleção chegam em uma acomodação tão segura, e esse é o caso.

O disco foi outra bela surpresa. Logo que tirei da caixa senti que o peso fazia jus ao resto da alta qualidade do pacote. Eu chuto seu peso em torno dos 160 gramas. Isso é essencial porque previne ondulações no disco quando ele tá girando bonitão pela vitrola, sem contar que é melhor pra manusear e guardar. Até o áudio parece que dá uma melhorada também.
Além disso, vocês sempre lêem por aqui que as edições Deluxe de discos importados de bandas renomadas têm 180 gramas. Não ficamos para trás, e repito, vários discos gringos que eu encontro por aí são bem mais leves do que esse, chegando a ter 100 gramas e dando um aspecto amador no resultado final.

A comparação com os discos importados pode parecer chata, mas é importante para ficar bem claro que a Polysom reabriu sua fábrica, não foi de bobeira, e está tendo extremo cuidado no que vem lançando. Sem contar que a história furada de que aqui no Brasil as coisas não podem ser comparadas às obras que vêm lá de fora é totalmente sem cabimento.

Musicalmente “Chiaroscuro” é um belo de um disco de rock, onde as músicas mais “pra cima” aparecem em menor quantidade e dão lugar a melodias mais sombrias e linhas de baixo mais pesadas, além de baladas bonitonas como “Só Agora”, que segundo a própria dona do disco me disse no Twitter, foi colocada como última música no Lado A de propósito, para que o ouvinte ficasse com o barulhinho da chuva até virar o bolachão. Classe!

Meus destaques vão para o hit “Me Adora”, a belíssima “Só Agora”, “Fracasso”, que começa com guitarras e bateria metódicos até evoluir a um refrão daqueles que grudam na cabeça e são legais de cantarolar, “Desconstruindo Amélia” e “Trapézio”.

Ficou com vontade de saber como elas soam com o áudio delicioso do vinil? Não tem problema!

Como já é praxe aqui na seção Chegou!, a gente sempre coloca músicas ripadas diretos do vinil pra audição, e dessa vez não foi diferente, graças ao pessoal da Deckdisc, que topou e deu o sinal verde sem pestanejar. Agradeçamos a eles!!

Só que hoje tem um lance diferente.

Você pode ouvir uma versão em alta qualidade, ripada direto do vinil e passada pra Mp3 em 320 kbps da faixa “Fracasso”, a primeira no Lado B do disco. Para isso, você deve virar fã da página do Tenho Mais Discos Que Amigos! no Facebook.

O link é esse aqui, e ao entrar lá, clique em “Curtir” ou “Virar fã”, e pronto!

Você terá acesso ao link da faixa na aba PITTY.

Na página do Facebook você poderá ficar sabendo dos posts em primeira mão, e outros detalhes que só teremos por lá. Além de comentar as notícias com os amigos da sua rede social, postar fotos, conversar em fóruns. Entra lá!

E não é só isso…


Green Day

O trio Green Day surpreendeu a todos que foram assistir ao musical da Broadway “American Idiot”, que é baseado no álbum que leva o mesmo nome e lançado pelo trio em 2004.

Após o término da peça, o Green Day subiu ao palco e tocou duas músicas: “American Idiot” e “Basket Case”. Veja um trecho presente no vídeo que encontra-se no final do post.

Falando ainda no musical, O Green Day lançou no dia 20 de abril “American Idiot Cast Album”, contando com versões regravadas do álbum de origem mais algumas novas e com a participação do elenco do musical.

Tracklisting:

CD 1

01. Company Of American Idiot – “American Idiot”
02. John Gallagher Jr., Michael Esper, Stark Sanda, Mary Faber & Company – “Jesus Of Suburbia” 9:07
03. John Gallagher Jr., Stark Sanda, Theo Stockman & Company – “Holiday”
04. John Gallagher Jr., Rebecca Naomi Jones, Stark Sanda & Company – “Boulevard Of Broken Dreams”
05. Joshua Henry, Mary Faber, Leslie McDonel, Christina Sajous, Alysha Umphress, Libby Waters & Company – “Favorite Son”
06. Stark Sanda, Joshua Henry & Company – “Are We The Waiting”
07. John Gallagher Jr., Miguel Cervantes, Declan Bennett, Theo Stockman, Tony Vincent & Company – “St. Jimmy”
08. Michael Esper, Stark Sanda & Company – “Give Me Novacaine”
09. John Gallagher Jr., Gerard Canonico, Chase Peacock, Rebecca Naomi Jones, Tony Vincent & Company – “Last Of The American Girls/She’s A Rebel”
10. Tony Vincent, Rebecca Naomi Jones, Mary Faber & Company – “Last Night On Earth”
11. Theo Stockman, Michael Esper, Mary Faber & Alysha Umphress – “Too Much Too Soon”

CD 2

01. Stark Sanda, Chase Peacock, Joshua Henry & Ben Thompson – “Before The Lobotomy”
02. Christina Sajous, Stark Sanda & Company – “Extraordinary Girl”
03. Stark Sanda, Chase Peacock, Joshua Henry, Ben Thompson & Company – “Before The Lobotomy” (Reprise)
04. John Gallagher Jr. – “When It’s Time”
05. Tony Vincent, Michael Esper, John Gallagher Jr. & Company – “Know Your Enemy”
06. Rebecca Naomi Jones, Christina Sajous, Mary Faber, Stark Sanda, John Gallagher Jr., Michael Esper & Company – “21 Guns”
07. Rebecca Naomi Jones, Mary Faber, Leslie McDonel, Christina Sajous, Alysha Umphress & Libby Winters – “Letterbomb”
08. John Gallagher Jr., Michael Esper, Stark Sanda & Company – “Wake Me Up When September Ends”
09. Tony Vincent, John Gallagher Jr., Theo Stockman, Gerard Canonico, Michael Esper, Miguel Cervantes, Mary Faber, Stark Sanda & Co – “Homecoming”
10. John Gallagher Jr. – “Whatsername”
11. Green Day – “When It’s Time”

Para comprar a versão digital, clique aqui.

Para comprar em CD (duplo), clique aqui.

Há grandes chances de “American Idiot” também ser lançado em filme. É aguardar para ver.

Enquanto tudo vai sendo acertado, o trio segue em turnê que conta com o apoio de AFI e Joan Jett and the Blackhearts.

M.I.A.


Quando “Kala”, o segundo álbum da M.I.A., saiu em 2007, uma certa polêmica se criou em torno de “Paper Planes”, por causa dos sons de tiros no refrão. Teve censura, boicote, aquela papagaiada toda que inventam nesses casos – e que, no fim das contas, mais ajuda a divulgar o objeto da controvérsia que a diminuir seus efeitos supostamente malignos. Prestes a lançar um novo álbum (ainda sem nome, previsto para junho), a cantora resolveu botar fogo na internet para nos preparar para o que vem por aí.


Primeiro, vieram às críticas a Lady GaGa. Praticamente gratuitas, deixaram no ar aquela sensação de “tem gente querendo chamar atenção…”. Aí, na semana passada, a inglesa soltou o primeiro gostinho do disco novo: “Born Free”, uma faixa agressiva, com uma cara mais anárquica que qualquer outra coisa que ela já lançou. Tá, até aí tudo bem. Mas nesta segunda-feira (26), M.I.A. mostrou definitivamente a que vem com o terceiro álbum, lançando o clipe oficial de “Born Free”. Em resumo, é um curta de 9 minutos com um pouco de nudez, uma dose cavalar de violência, com cenas explícitas do que parece uma guerra civil aos ruivos do mundo. NÃO VEJA SE NÃO TIVER ESTÔMAGO PARA CENAS FORTES. Se não se importar, dá uma olhada:


M.I.A, Born Free from ROMAIN-GAVRAS on Vimeo.


Para completar, M.I.A. ainda foi convidada a controlar o twitter do Pitchfork por um dia, e postou um print screen com o tracklist do novo álbum:



Se o vídeo de “Born Free” saiu assim, fico imaginando como será o vídeo para “Tequilla” (viram a notinha “hactivism @ its best” ao lado da faixa?). Em tempo: se você quiser ajudar a M.I.A. a escolher o nome do novo álbum, é só mandar um tweet com a sugestão para @_M_I_A_.



Gogol Bordello

Os gypsy punks do Gogol Bordello (formado em Nova Iorque, em 1999) estão de volta em 2010 com um novo álbum!

Há dois anos o frontman da banda, Eugene Hütz, mudou-se para o Brasil e parte de suas experiências vividas por aqui, podem ser escutados no “Trans-Continental Hustle”: Um álbum totalmente influenciado por essas vivências novas e pelas riquezas do nosso país.

Produzido por nada mais nada menos do que Rick Rubin, “Trans-Continental Hustle” é o quinto álbum da banda; o primeiro de estúdio desde “Super Taranta!”, lançado em 2007 e o sucessor do ao vivo “Live from Axis Mundi”, lançado em 2009.

O álbum já está disponibilizado NA ÍNTEGRA no myspace oficial. Clique para ouvir!

Tracklisting:

01. “Pala Tute”
02. “My Companjera”
03. “Sun on My Side”
04. “Rebellious Love”
05. “Immigraniada (We Comin’ Rougher)”
06. “When Universes Collide”
07. “Uma Menina”
08. “Raise The Knowledge”
09. “Last One Goes The Hope”
10. “To Rise Above”
11. “In The Meantime In Pernambuco”
12. “Break The Spell”
13. “Trans-Continental Hustle”

“Trans-Continental Hustle” será lançado via American Recordings em versão digital, CD (com versão CD + camisa) e vinil duplo 180 gramas (com versão LP + camisa), amanhã, dia 27 de abril.

Para comprá-lo em versão digital, clique aqui.

Para comprá-lo em vinil, clique aqui.

Para comprá-lo em CD + camisa, clique aqui.

Para comprá-lo em vinil + camisa, clique aqui.

A faixa “Pala Tute”, que abre o registro, foi também escolhida para ser o novo single. Clique aqui para fazer o download gratuito da música.

Regina Spektor

Para ajudar as vítimas dos recentes terremotos que atingiram o Haiti e o Chile, a cantora, pianista e compositora Regina Spektor regravou “No Surprises”, do Radiohead. Ficou assim:



Toda a renda obtida com a venda do cover vai ser direcionado para a ONG Médicos Sem Fronteiras, para auxiliar no tratamento de vítimas dos terremotos e apoio ao trabalho da organização. Para ajudar, é só clicar aqui. Infelizmente, pelo menos por enquanto, a música só está à venda na iTunes Store, ou seja, é preciso ter uma conta iTunes americana para adquirir o arquivo digital da faixa.

“No Suprises” está, originalmente, no terceiro álbum do Radiohead, “Ok Computer” (1997), frequentemente listado em várias e várias listas de melhores álbuns ( dos últimos anos, décadas, de todos os tempos…). A versão original é essa aqui:



E aí? O que você achou do cover de Regina Spektor? Melhor ou pior que a original? A versão em vinil de “Far” (2009), último álbum dela, está à venda aqui.



Eminem

O rapper, produtor e ator Eminem (que foi descoberto pelo também produtor e rapper Dr. Dre) cancelou o lançamento de “Relapse 2″, que seria sequência do seu sexto álbum de estúdio, “Relapse”, lançado em 2009.

O álbum foi renomeado para “Recovery” e tem previsão de lançamento para o dia 18 de junho deste ano na Europa, 21 de junho no Reino Unido e 22 de junho nos Estados Unidos, via Aftermath Entertainment/Interscope Records/Polydor Records e também pelo selo de Eminem, Shady Records.

Eminem comentou sobre o atraso do lançamento:

Muitas pessoas estavam esperando que o ‘Relapse 2′ saísse no ano passado. Eu era uma delas. Então o Dr. Dre e eu voltamos ao estúdio em setembro durante alguns dias e isso acabou se tornando seis meses.

E segundo o seu site oficial, o rapper comentou o seguinte sobre essa mudança de nome e porque considera “Recovery” como um “novo” álbum:

Eu tinha planejado originalmente lançar o ‘Relpase 2′ no ano passado. Mas conforme eu continuei gravando e trabalhando como novos produtores, a ideia da continuação do ‘Relapse’ começou a fazer cada vez menos sentido para mim e eu queria fazer um álbum completamente novo. As músicas em ‘Recovery’ ficaram bem diferentes de ‘Relapse’ e eu acho que o álbum merece o seu título próprio.”

O registro conta com a contribuição de DJ Khalil, Just Blaze, Jim Jonsin, Boi-1da e muitos outros.

Sua tracklisting ainda não foi oficialmente divulgado, mas a música”Not Afraid” já vazou por aí. Ouça abaixo:


Brandon Flowers



Brandon Flowers, vocalista e frontman do The Killers, anunciou seu primeiro álbum solo. O disco vai se chamar “Flamingo”, e ainda não tem data de lançamento marcada. O anúncio foi feito após uma contagem regressiva de 3 dias no site oficial do The Killers, que culminou nessa imagem:




No site oficial, você pode ainda se cadastrar para receber e-mails com novidades da carreira solo de Flowers. Para se inscrever, clique aqui.



Judas Priest

Eu to falando que os fãs de Judas Priest estão com sérios problemas financeiros por causa da banda.
Após relançar 9 álbuns mais “recentes” da carreira em edições especialíssimas de discos de vinil duplos e coloridos, 3 álbuns mais antigos também estão ganhando nova versão em LP e sendo disponibilizados para os fãs.

Dá uma olhada nos detalhes:

  • “Rocka Rolla” – Originalmente de 1974, está sendo relançado em LP de 180 gramas
  • “Sad Wings Of Destiny” – Originalmente de 1976, está sendo relançado em LP de 180 gramas
  • “Hero, Hero” – Originalmente de 1981, é uma coletânea que traz basicamente faixas dos 2 discos acima, e foi relançada em disco de vinil duplo

Não tá fácil, mas deve estar muito divertido ser fã do Judas Priest ultimamente!

The Exploited

Formada em 1979 na Escócia, The Exploited, uma das bandas mais importantes e veteranas do Oi! / street punk (inclusive, esteve no Brasil no final do ano passado para fazer alguns shows), relançou um álbum e uma compilação neste ano.

No dia 20 de abril, a nova edição (limitada a mil cópias) em vinil 12 polegadas na cor vermelha, do seu álbum de estreia “Punks Not Dead” (de 1981), foi lançada via Drastic Plastic.

Tracklisting:

01. “Punks Not Dead”
02. “Mucky Pup”
03. “Cop Cars”
04. “Free Flight”
05. “Army Life (Part 2)”
06. “Blown To Bits”
07. “Sex & Violence”
08. “SPG”
09. “Royality”
10. “Dole Q”
11. “Exploited Barmy Army”
12. “Ripper”
13. “Out of Control”
14. “Son of a Copper”
15. “I Believe In Anarcy”

Para comprá-la, clique aqui.

Já no dia 23 de março, a compilação “Complete Punk Singles Collection” que faz um apanhado das essenciais ao longo de todos os vinte e cinco anos de existência da banda, foi relançada em CD via Captain Oi!, com mais oito músicas.
Ela vem com artwork colorida, notas lineares detalhadas e fotos de cada lançamento.

Tracklisting:

01 “Army Life”
02 “Fuck The Mods”
03 “Crashed Out”
04 “Exploited Barmy Army”
05 “I Believe In Anarchy”
06 “What You Gonna Do”
07 “Dogs Of War”
08 “Blown To Bits” (Live)
09 “Dead Cities”
10 “Hitler’s In The Charts Again”
11 “Class War”
12 “S.P.G.” (Live)
13 “Cop Cars” (Live)
14 “Attack”
15 “Alternative”
16 “Y.O.P.”
17 “Computers Don’t Blunder”
18 “Addiction”
19 “Rival Leaders”
20 “Army Style”
21 “Singalongbushell”*
22 “Jesus Is Dead”*
23 “Politicians”*
24 “Drug Squad”*
25 “Privacy Invasion”*
26 “War Now”*
27 “United Chaos & Anarchy”*
28 “Sexual Favors” (Dub)*

*Faixas adicionadas

Para comprá-la, clique aqui.

Vultures United

Depois de algumas demos e alguns EPs, o Vultures United – banda de dark hardcore formada em Orange Country, Califórnia e que compara o seu trabalho com Black Flag e Swing Kids, enquanto uns dizem que seu trabalho lembra Gallows, Hot Snakes e The Bronx – lançou neste ano o seu primeiro full length sob o novo nome (eles chegaram a lançar “Bitten” sob o nome de Grave For The Fireflies).

“Savages” – por sinal, um escelente álbum! – foi gravado e produzido por Paul Miner e lançado via Red Scare Industries no dia 13 de abril deste ano em CD (1.000 cópias) e vinil 12 polegadas (250 cópias na cor verde/menta).

Tracklisting:

01. “The Natives”
02. “The Joy Divisions”
03. “Marty, Hang On”
04. “I Am My Father’s Son”
05. “Haunted Houses In The City Of Fountains”
06. “The Last Surviving Members Of The Nostromo”
07. “Red Crossed”
08. “I Don’t Need Drugs, I Need Money”
09. “Shit Talk From Skull Mountain”
10. “3 AM”
11. “Salon Girls”
12. “Fine Night For An Exorcism”
13. “The Disappearance Of The Green Valley Pig”

Faixas bônus disponíveis somente na versão em LP:

14. “Ears, Eyes, Nose And Throat Of A Dying Metropolis”
15. “Pain Messiah” (F-Minus cover)

Algumas faixas estão disponíveis no myspace oficial da banda.

Para comprar “Savages” em CD ou vinil, clique aqui.

Toca-discos de papelão


Quantas vezes você teve vontade de presentear alguém com um disco de vinil, mas a pessoa não tinha onde tocá-lo? Tudo bem que às vezes vale a pena só pelas embalagens luxuosas e capas belíssimas, mas o melhor dos vinis – a música – acaba ficando de lado. Mas levando isso em conta, a produtora de áudio GGRP Sound criou essa embalagem de papelão acima, que vem com uma agulha acoplada à embalagem!



É só encaixar o disquinho na caixa, dobrá-la do jeito indicado, e girar com ajuda de um lápis, ou outro objeto pontiagudo. Demais, não é mesmo? Tudo bem que a qualidade de som não vai ser a maior qualidade do chamado “Paper Player”, mas é no mínimo divertido. Veja o Paper Player em ação: