EXCLUSIVO: Entrevista com JAMES DEWEES, do Get Up Kids

 
 
 
 

MELHORES DO ANO

 
 
 
 

De 15 a 25 de Dezembro farei minha lista de melhores discos do ano, com um disco por post. Hoje temos o de número dois. Confere aí!

2 – Set Your Goals – This Will Be The Death Of Us

Set Your Goals - This Will Be The Death Of Us

Outra banda que eu não conhecia e que me surpreendeu.
Confesso que esse foi um daqueles discos que me chamou a atenção pela linda capa, e aí eu fui atrás.
“This Will Be The Death Of Us”
me levou denovo ao hardcore dos anos 90, onde tudo era diversão, as bandas sabiam ser melódicas na hora certa, pesadas na hora certa e falar sério ou brincar quando fosse conveniente.

O disco inteiro é muito sólido, tem uma música que poderia ser hit em qualquer lugar do mundo (“Summer Jam”) e ainda tem participações de Hayley Williams do Paramore, Chad Gilbert do New Found Glory (ambos são namorados, aliás) e de Vinnie Caruana da extinta The Movielife.

Sinceramente essas participações são só cerejas em cima do bolo, porque o disco tem vida própria e caminha fácil com suas próprias pernas.


EXCLUSIVO! Entrevista com James Dewees do Get Up Kids

Todas as fotos foram retiradas do Last.FM (http://www.last.fm)


SIM!!! Chegou a hora de entregar esse presentão de Natal a todos vocês, leitores do TMDQA! e a mim mesmo, já que eu fiquei extremamente feliz com esse mini-projeto.
Eu e o Gustavo Pelogia do blog  Diário de Palco, parceiraço que já até entrevistei aqui para o Podcast, fizemos uma entrevista exclusiva com James Dewees, tecladista do Get Up Kids, mente brilhante do Reggie And The Full Effect e tecladista esporádico de New Found Glory e My Chemical Romance. Ah, vale lembrar que ele também tocou no Coalesce. Ufa!

A primeira ideia era entrevistar a banda toda e/ou o líder Matt Pryor, mas James foi extremamente atencioso e fez o papel pra gente, então lá vai. Aproveita e curte essa entrevista exclusiva do TMDQA! e Diário de Palco, presente de Natal pra você.


TMDQA! + Diário de Palco: Por que o Get Up Kids parou de tocar em 2005 e o que fez com que vocês voltassem? Foi realmente uma ideia do Suptic (guitarrista), como vocês falaram nos primeiros vídeos do show de reunião que apareceram na Internet (veja o vídeo abaixo)?
James Dewees: Nós paramos de tocar porque estávamos todos de saco cheio de fazer turnê toda hora, tentando manter uma vida próxima do normal, e estar na estrada não é a coisa mais fácil do mundo. Nós voltamos porque todos sentimos vontade de voltar. Todos nós permanecemos amigos próximos durante o hiato então foi só uma questão de todo mundo se juntar em um mesmo lugar ao mesmo tempo, mais ou menos.


TMDQA! + Diário de Palco: Rob Pope (Baixista) disse que o “Something To Write Home About” foi o último bom álbum de um gênero (emo). Não somos muito fãs de ficar rotulando as coisas, mas você considera que o Get Up Kids já foi uma banda emo, e que vocês fugiram do rótulo com os discos “On A Wire” e “Guilt Show”. Se sim, isso foi de alguma maneira intencional?
James Dewees: O Robbie realmente disse isso, e ele estava brincando. Nós éramos uma banda “emo” muito antes do termo começar a ser utilizado. Aí a gente caiu fora do gênero assim que ele virou um gênero. Desde que o Matt esteja cantando, o som será The Get Up Kids.

TMDQA! + Diário de Palco: O Suptic disse em uma entrevista que a cena está toda esquisita nos dias de hoje. O que você acha das bandas coloridas que por algum motivo estão sendo chamadas de emo, e qual é a sua opinião sobre o fato delas estarem sendo associadas com o gênero?
James Dewees: Eu realmente não sigo mais a cena. A cena underground sempre ficará grande demais pra ela mesmo e aí uma nova cena underground vai aparecer, isso tem acontecido desde o começo e continua assim. A cena underground da qual viemos simplesmente acontece de ser chamada de emo.

TMDQA! + Diário de Palco: Uma das melhores notícias que a gente ouviu esse ano foi que vocês têm novas músicas e provavelmente as lançariam em vinil no próximo ano. Somos muito fãs de vinil, qual é a sua opinião sobre todo o lance MP3/CD/Retorno-do-LP que está acontecendo hoje em dia?
James Dewees: É inevitável que o vinil vai ser para os colecionadores e mp3s são para fãs.

TMDQA! + Diário de Palco: Sobre os projetos paralelos, há alguma novidade quanto ao Reggie And The Full Effect (banda paralela de James) e o New Amsterdams (banda paralela de Matt Pryor) ?
James Dewees: Na verdade eu não faço ideia, eu tenho muitas coisas acontecendo agora, todas ao mesmo temo, tem o reggie, etc, etc.

TMDQA! + Diário de Palco: Ano passado o Matt Pryor lançou “Confidence Man”, seu primeiro disco solo, há planos para que ele lance algo nesse sentido para o ano que vem?
James Dewees: Eu acho que o Matt está planejando alguma coisa.

TMDQA! + Diário de Palco: Um amigo nosso, Victor, recentemente viu um show de vocês em Salt Lake City e disse que conversando com alguns de vocês após o show, foi dito algo sobre shows na Argentina (referência à resenha que Victor fez para o portal PunkNET). Isso é verdade? Há chances de isso virar uma turnê Sul-Americana e passar pelo Brasil?
James Dewees: Não sei.

TMDQA! + Diário de Palco: Obrigado pelo tempo e pela paciência, e sinta-se à vontade pra deixar seu recado aos vários vários vários fãs brasileiros.
James Dewees: Oi Brasil! Espero vê-los em breve.


 
 
 
 
comments powered by Disqus